(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Para ti amigo...



Para ti meu amigo
Nem sei bem o que te dedico
Sei apenas que te explico
Tudo o que és comigo
Dizes que sou Paixão

Mas não daquelas do coração 
Achas que tudo o que faço 
É sentido e com uma razão
Não sei por onde andas 
Mas deves estar na esplanada 
Num grande momento dourado 
A trabalhar para o bronzeado 
Hoje é dia de sentires o vento
Quando na tua moto arrancares
Não te esqueças de te aplicares 
Para bem, a casa chegares
Só assim podes “empijamar”
Logo a seguir “achinelar”
Para na janelinha me dizeres
Boa noite amiga 
Que me vou deitar

Sem comentários:

Enviar um comentário