(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Visite o meu Blog do Espaço Infinito...


Se anda em busca do seu "EU" mais profundo.
Se anda em busca de Harmonia, Paz de Espírito, Respostas às sua Questões mais profundas.
Se quer viver na base do Amor...

Visite-nos...!

ONDE QUER QUE SE ENCONTRE, 
ESTOU AQUI PARA SI, SEMPRE!


http://espacoinfinitoblog.blogspot.pt/




quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Pensar agora, o quanto eu te amei…





Pensar agora, o quanto eu te amei, como nunca ninguém te amou. O quanto eu te desejei, como nunca ninguém te desejou.
Tanta loucura naquela altura, eu pensei.
Tanta lágrima, eu deitei por não te querer perder, quando te vi de repente da minha vida desaparecer.
Mas agora sei que foi o melhor para mim, pois não mereceste todo o amor que te dei, todo o tempo que por ti esperei.
Quem ama não se ausenta, não escolhe estar longe.
Quem ama quer mostrar, ficar, voltar, sem nunca se silenciar.
Porque quem ama pensa no existir, no sentir do outro, no seu sofrer.
Pensa no que o outro está a querer e deseja voltar para ficar, para amar, para todos os planos a dois conquistar, partilhar sem hesitar.
Pensar agora, o quanto eu te amei…

Susana Bastos

(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

O que é que nos aconteceu?



Estou aqui deitada
Sinto-me desesperada
Não sei o que vou fazer sem ti
Sem te ter aqui deitado ao pé de mim
Ainda sinto todo este desejar
Amava voltar-te a beijar
Sabes bem que és tudo o que sempre quis
Que é contigo que quero ser feliz…
Diz-me quantos recomeços tem
Cada despedida nossa
Tínhamos tudo para dar certo
O que é que nos aconteceu?
Se o amor em nós não desapareceu…
A tua falta de coragem
Faz este amor ser uma breve passagem
Todos os meus cansaços
Dividem este amor em pedaços
Mas eu não existo sem ti
E tu não existes sem mim
Porque o sentimento que nos une
Vai permanecer no nosso ser
Para lá do fim do nosso fim…

Susana Bastos
(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Tenho que ir...



Nunca mais te direi, amo-te!
Nunca mais me vais voltar a ouvir dizer, o que tantas vezes te disse e tu não quiseste ouvir.
Disse-te tantas vezes que um dia ia ser tarde e tu nunca acreditaste.
Agora sou eu que não acredito no que estou a ver e ouvir. Como te atreves?
Depois de tudo o que chorei, depois de tudo o que sofri e contigo insisti, apareces agora aqui, para dizer que afinal me amas. Que tudo vai mudar. Que tudo vai ser diferente. Que sou a mulher da tua vida e não consegues viver sem mim.
Esquece.
Esquece-me.
Agora é tarde!
Agora já não quero e não preciso mais do teu amor.
Um amor que tanto desejei, que tanto esperei e que nunca deste valor.
Um amor que transformaste em dor sem dó nem piedade, em nome do teu ego, da tua vaidade.
Agora é tarde, meu amor!
É tarde para mim, é tarde para ti aqui.
Agora é tarde para nós!
Tu e eu… Interioriza que é passado, ponto final.
Agora eu, só quero viver o presente e tu não tens lugar nesse lugar para onde vou, ser realmente quem sou. Ser finalmente feliz como sempre quis.
Tudo tem um limite e tu ultrapassaste todos os limites que o meu amor podia aguentar. Não tenho mais como te aceitar, acho mesmo que não tenho mais como te amar, mesmo que ainda te ame.
Agora se não te importas, tenho que ir…

Susana Bastos
(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)