(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

segunda-feira, 25 de abril de 2011

À LA CARTE




És uma carta fechada
Dentro de um livro aberto
Só quem está preparada
Consegue entender o que está certo
Poderia começar por te chamar inconstante
Ou talvez até imprevisível 
Por saber que não gostas de rotina
Que gostas mesmo é do impossível
Há quem te chame insensível
E diga que és terrível 
Mas eu sei que apenas tens medo
Do que não tem probabilidades de acontecer
Numa única palavra, diria medo do improvável
És realmente divertido, mas também sofrido
Dás risada do ridículo, mas quando choras é sentido
Todos te rotulam apenas como um sedutor
Alguns até te chamam impostor 
Mas é porque não conhecem realmente 
Todo a tua parte de valor 
És um excelente profissional 
Cheio de objectivos concretos 
Diria que com os trunfos certos 
Consegues ser sempre fenomenal
Tens um sorriso lindo e confiante
Que nem sempre demonstra 
O tanto de insegurança 
Que muitas vezes esconde
És fascinado por mulheres bonitas 
Isso não podes negar 
Mas isso não quer dizer
Que sempre as queiras conquistar
Elas rodeiam-te mesmo sem saberes porquê
Penso que até que te vêem como um objecto sexual
Eu diria apenas que é carisma
Ou então excesso de mel nessa tua parte sensual
Foges do amor, como quem foge da cruz
Mas és um eterno romântico apaixonado
Que vive tudo à velocidade da luz

Sem comentários:

Enviar um comentário