(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

sexta-feira, 22 de abril de 2011

O Meu Sumol de Laranja...



Não sei se foi da temperatura que estava
Apenas sei que quando cheguei
E olhei para ele percebi  
Quando lhe toquei arrepiei-me toda
Que diferença brutal
O facto de estar fresquinho
Quando o saboreei
 Foi como da 1ª vez
Sem palavras
E pensei!
 Hummmmmmmm...
Está perdido de bom
Tenho que fugir 
Ainda saboreava outro 
Mas o tempo é escasso
Por isso pensei
Rápido me afastei 
E não é que fugi mesmo
É irresistível, soberano
Ainda sinto o seu sabor
É de facto um grande amor
É viciante

Demais provocante
Acho que jamais trocarei
O Meu Sumol de Laranja