(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Insano desejo....



Não sabes nada!
Não sabes, a saudade que sinto, o meu desassossego no vazio das noites longas que passo a pensar em ti, Da febre e do delírio por te desejar tanto e não te ter a dormir ao meu lado. De dormir, acordar e o teu nome chamar em vão.
Não sabes, que nesse teu silêncio adormeço, viajo em falsos sonhos fugindo de ti, fugindo de mim, enquanto no mesmo sonho, tento resgatar nosso recomeço, na tentativa de adiar um inevitável fim.
Não sabes da necessidade louca de sentir para sempre o gosto da tua boca, de te abraçar nas noites frias de inverno, noites que se tornam num autêntico inferno.
Não sabes do fascínio que ainda existe, de todo o tempo que comigo dormiste, do desejo ardente e insano, por teres que ser agora para mim, como um simples estranho.
Não sabes de nada, não queres saber, por medo de me querer e não me poder voltar a ter. Temos caminhos diferentes, eu sei.
Mas se eu estou aqui ainda a sofrer por ti. Se tu estás ai a sofrer por mim
Então vamos fazer de tudo para evitar um fim…



Susana Bastos
( Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)