(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

sábado, 28 de maio de 2011

Noite de aflição...




Tão perto e tão longe
Foi como me senti ontem e hoje
Nunca pensei nesta viagem
Só fazer uma paragem
E nem te mandar uma mensagem

Ou dar-te um beijo de passagem
Não por em tempos nos termos apaixonado 
Ou por o céu estar estrelado 
Simplesmente podia-te ter falado 
Se não tivesses fugido e não tivesses chateado 
A noite foi de aflição 
Pois já que estava na região,
Pensei tomar a decisão 
De ir até ao Face ou ao Sabão
Mas achei que não valia a pena 
Que me devia manter serena 
Por uma amizade que considero plena
Mas que agora saiu de cena
Nem sequer te procurei
Apenas imaginei que te beijei
Como é normal respeitei 
E penso que acertei
Na decisão que tomei
Quem sabe um dia a nossa amizade 
Seja realmente de verdade 
Não mexa com a nossa intimidade 
Para matarmos então a saudade
Óbvio que não acredito que fugir
Seja a opção que no fundo estás a sentir 
Apesar de o quereres transmitir,
Para disto tudo podermos sair
Quem sabe um dia um copo podemos beber 
Num jantar como amigos, conversar e comer
Sem sentirmos sempre a crescer
Esta necessidade de prazer
Pois sei que a química é uma ignição 
Que nos faz entrar em colisão 
Usarmos toda a nossa imaginação 
Cairmos, sempre na tentação 
E por momentos vivermos esta paixão

Sem comentários:

Enviar um comentário