(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

sábado, 28 de maio de 2011

Medo de viver..



O medo de viver está à vista
Mais parece uma revista
Onde se faz uma entrevista
De como se quer ser vista

O tamanho da intrujice 

É como a bisbilhotice
Cheia de tagarelice 
Mas sempre com meiguice
Somos seres em evolução 
Todos com muita tesão 
Esquecendo-nos da emoção 
Por vivemos num mundo de cão
De que serve a honestidade 
A nossa sensibilidade 
Viver com maturidade
Se não dermos valor à verdade 
Todos os momentos que perdemos na vida
São por vezes emoções escondidas  
Paixões contidas, relações perdidas
De que nos serve o orgulho puro
Para dizermos "sou duro" ou "eu juro"
Se depois me torturo

Sem comentários:

Enviar um comentário