(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

sábado, 28 de maio de 2011

No destino acreditar...





Depois de na auto-estrada virar
Ao Cartaxo hoje fui dar
Por isso no destino tenho que acreditar
Que depois de muito andar
Ao Modelo fui parar

Claro que com o calor a apertar 
Entrei para um Sumol de Laranja comprar
No estacionamento sentada ali ficar, 
Sozinha a pensar
Que só me apetecia chorar
De tão cansada e triste estar
Mas como era de esperar 
Depois de beber o Sumol e relaxar 
Virei costas a pensar 
Que não há nada como a vida amar

Sem comentários:

Enviar um comentário