(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Não foi o meu primeiro...



Não foi o meu primeiro
Mas o seu inconfundível sabor tornou-o no meu maior prazer
Gratificante, estimulante, cativante,

Ao ponto de me fazer crescer água na boca assim que acordo
E em especial quando me deito
Ontem deitei-me a desejo
Hoje acordei e a primeira coisa em que pensei
Foi nele
Tenho que fazer algo que me dê energia
Duche, frigorífico e nada (pudera já ontem não havia)
Ok então. Copo de leite com chocolate. Baahhh…
Quilómetros, reuniões, negócios
Almoço!!! E agora?
Olhei e a seta dizia: Cartaxo
Hummmm… Pensei
É isso mesmo
Parei no parque de estacionamento do Modelo 
Resolvi entrar e saciar o desejo
Mas assim só, sem acompanhamento 
Nem seria um almoço proveitoso 
Entrei no carro, pus-me ao caminho
O calor apertava e a sede despertava 
Acabei no chinês 
Logo há entrada, numa mesa recatada
A comer a bela da gamba frita, 
E claro, como não podia deixar de ser
Porque desde que provei o sabor da laranja
E senti o prazer da fruta
Nada mais a acompanhar se me ajusta
Pedi em bom português ao chinês
- Um Sumol de Laranja
E ali fiquei a apreciar, a recordar e a enterrar
Toda a falta de energia que senti ao acordar

Sem comentários:

Enviar um comentário