(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

sábado, 28 de maio de 2011

Dia dezassete...




Dia dezassete
Não sei porque o fizeste
Sei que o quiseste
E assim o tiveste
Dezanove horas,

Ages sem demoras
Perguntas hoje porque choras?
Porque sei que me adoras
Mil quatrocentos e vinte 
Foi quando me sentiste
Outro beijo me pediste 
E com teu olhar me ouviste
Resistia, resistia 
Não queria
Mas enquanto sorria
Percebeste que cedia
No meio de tanta emoção
Foi o selar de uma paixão
Que nunca será em vão 
Pois está no coração

Sem comentários:

Enviar um comentário