(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Um Porto de Abrigo...

Foto: Mesmo ausentes, estamos sempre presentes
Porque no amor, até a dor tem sabor
Sabor de paixão, cheio de emoção
Sabor de saudades, cheio de verdades
Sabor de reencontro, depois do desencontro
Onde a distância e o tempo, não são um inimigo
Porque tu estás comigo e eu estou contigo
E seremos sempre um para o outro
Um Porto de Abrigo
Como podem dois corações esquecer
Nossas brincadeiras, carinhos e emoções
Como podem dois corações fugir
De tudo o que estão a sentir
Se a alma não permitir e o corpo não resistir
Não há como esquecer, todo o nosso querer
Não há como fugir, enquanto o amor insistir
Não há como não voltar e continuar a amar
Quando a paixão é fértil
Quando se é gentil, sem se ser hostil
Fazendo do amor algo subtil…

Susana Bastos 
25 de Maio de 2014
(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

Mesmo ausentes, estamos sempre presentes
Porque no amor, até a dor tem sabor
Sabor de paixão, cheio de emoção
Sabor de saudades, cheio de verdades
Sabor de reencontro, depois do desencontro
Onde a distância e o tempo, não são um inimigo
Porque tu estás comigo e eu estou contigo
E seremos sempre um para o outro
Um Porto de Abrigo
Como podem dois corações esquecer
Nossas brincadeiras, carinhos e emoções
Como podem dois corações fugir
De tudo o que estão a sentir
Se a alma não permitir e o corpo não resistir
Não há como esquecer, todo o nosso querer
Não há como fugir, enquanto o amor insistir
Não há como não voltar e continuar a amar
Quando a paixão é fértil
Quando se é gentil, sem se ser hostil
Fazendo do amor algo subtil…

Susana Bastos
25 de Maio de 2014
(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

Sem comentários:

Enviar um comentário