(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Vinte anos é muito tempo...





Vinte anos é muito tempo
Aconteceram muitos contratempos
Sempre que nos vimos de tempos em tempos
É intemporal este nosso tempo

Dizias que era "desenvolta" engraçada

Para nunca ficar zangada
Sentia-me por ti amada 
Também muito desejada 

Quando me dizias para seguir
 Por uma estrada florida
Era como se continuássemos na vida
 Sempre de uma forma unida

Andaste muito tempo apreensivo
Sem saber qual o motivo 
De gostares tanto de mim  
Por isso te senti sempre defensivo

Lembro que a saudade me dava pavor
Sempre que dizias que não era amor
Não tinhas nem leve sombra de empenhado
De ser amado por mim

Lembro-me que para ti sorri 
Foi a última vez que te senti 
Ainda dentro de mim
Eu dentro de ti

Vi-te partir de alma serena 
Perante a minha boca pequena 
Saudades da tua cantilena
Que preenchia a nossa cena 

Com esta boca pequena te senti
A mesma que eternamente te sorri 
Quando penso que te vou ver sinto  um grande querer 
Uma vontade de te ter, sei  que sou  o teu mexer

Sabemos não haver explicação
Quando estamos nesta situação 
Quando sentimos a emoção
Que nos vai no coração

.




Sem comentários:

Enviar um comentário