(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Já é tarde...





És e sempre serás alguém especial
Mas de certa forma não essencial
Pois não quiseste ser fundamental
Numa altura em que o amor era crucial
Vives um mundo de ilusão

Na procura de ti e da emoção
Sem nunca conseguires perceber a razão 
De de acabares com a nossa paixão
Acabas por te sentir vazio
Quando pensas em mim sentes um arrepio 
Por saber que já apaguei esse pavio 
Um amor que nunca te traiu
Tenta lá então perceber
Se o que tens agora é o teu querer 
Ou se apenas tens por ter,
Mas nada em ti sentes mexer
Eu sei que é preciso coragem
Para que admitas que essa paisagem 
Não é a tua pastagem 
Mas sim apenas uma passagem
A vida é soberana 
E a todos nós nos engana 
Para nos fazer ir de cana
Pagar aquele erro “sacana”
É na vida que aprendemos
E com ela saberemos 
Dar valor ao queremos 
Mas que às vezes é tarde e já perdemos

Sem comentários:

Enviar um comentário