(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Fado...


Qualquer fado é maravilhoso... 
Porque fado é sentimento, emoção, especialmente quando a realidade foge da razão... 
Fado é e sempre será paixão com alegria, sofrimento e dor, ou não falasse o fado quase sempre de amor... 
HÁ QUEM DIGA que somos um povo pessimista e triste e que isso nota-se até na nossa música que é o Fado. 
Não concordo...! 
Somos um povo pessimista porque se vive essencialmente na base do pensamento negativo, repetindo padrões incutidos de tanta crença e preconceito criado pela mente humana, pelo Ego distorcido de muitos.
Porque sair da zona de conforto do que nos foi ensinado por uma sociedade mesquinha pode fazer com que já não se seja visto e aceite como se espera. Onde tudo parece mal, pois cada um dá-se mais ao trabalho de viver a vida do próximo do que a sua.
Porque se vive mais uma Era, de vitimização pessoal, onde dizer-se "Eu sou Feliz" é quase crime e as pessoas tem vergonha de estarem óptimas.
Estar mal faz com que tenham muito mais atenção, carinho e amor dos demais (pelo menos acham que sim), mas não é verdade. Assim só se tornam pesos para si próprios e para os outros, semeando a cada dia o que não querem colher...
Por isso não é porque a nossa música é o FADO que faz de nós um povo pessimista e triste. Pelo contrário, mostra que somos acima de tudo um povo que consegue escrever e cantar a dor, o sofrimento, o amor, a paixão e também a alegria com muita emoção. como nenhum outro povo consegue. Que temos a sensibilidade e a criatividade necessária para criar e ir mais além, tocando a alma e o coração de milhões, como o Fado provou mundo fora e por isso a Unesco declarou o Fado como Património Imaterial da Humanidade,
Fado é orgulho... Como o é o nosso passado de conquistas pelo mundo e por isso mesmo temos que nos tornar cada dia mais num povo positivo, forte e lutador. Sem nunca desistir de lutar pelos seus sonhos. Sempre a acreditar que cada dia é um novo dia.
O importante não é pensar em função daquilo que nos foi incutido, mas pensar e agir de acordo com o que nos faz feliz, independentemente se agrada aos outros ou à sociedade e isso não é não respeitar quem não queremos desiludir e critica, isso é respeito por si mesmo.
Quando cada um decide amar-se e fazer-se feliz em primeiro lugar, não é egoísmo, é amor próprio.
Um povo onde cada um se ame mais, acredite mais em si e seja feliz, não é um povo negativo e pessimista.
É um povo alegre, cheio de força e imbatível que pode e deve na mesma continuar ouvir e a amar o Fado.

Hoje deu-me para isto... smile emoticon ...
No entanto estas palavras são só uma mera opinião pessoal, que vale o que vale... Não são nenhuma escritura...

10 Setembro de 2015
Susana Bastos

Sem comentários:

Enviar um comentário