(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Ainda sem Tiltulo 2º parte




(continuação) 2º parte

"As mãos dele agarraram-me pelos cabelos cautelosamente e os lábios roçaram-me a orelha de uma forma tão meiga e selvagem, que fechei os olhos e já só queria que não me largasse mais. Senti a outra mão a percorrer-me o corpo todo, enquanto a língua dele deslizava em direcção à minha. Sentia o corpo dele a contorcer-se para chegar aos meus lábios e fui ao seu encontro. 
Aquele beijo só por si já me deixou louca. A língua entrelaçada na minha, beijando-me apaixonadamente não deixou margem para dúvidas que o seu objectivo ia ser atingido e eu não conseguia mais ir embora naquele momento.
Sentia o coração dele a palpitar nas minhas costas e entre gemidos de prazer virou-me e pôs-se de joelhos, disposto a fazer daquele momento, mais um momento inesquecível para mim.
- Eu desejo-te muito meu amor. Não podes fugir de nós. Gostas, não gostas?
Nem consegui responder. Tinha a pele completamente arrepiada e a minha sensibilidade estava ao rubro com o calor da sua língua quente e molhada a deliciar-me de prazer como da primeira vez que me tocou. Quando os seus dedos invadiram os meus mamilos e os apertaram com força em movimentos circulares e carinhosos quase enlouqueci. O meu corpo vibrava de prazer, pois sabia bem o que o esperava.
Num movimento brusco agarrou-me ao colo, olhou-me de forma apaixonada, os seus lábios húmidos e doces mais uma vez tocavam os meus e beijei-o como se o quisesse devorar. Como eu amo este homem meu Deus, esta escultura viva…! Pensei ansiosa e desejosa de o ter dentro de mim. De me fundir com ele numa dança ritmicamente erótica e sensual."

Susana Bastos
Excerto inédito, de uma das minhas obras, a publicar em 2016
(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

Sem comentários:

Enviar um comentário