(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Em constante erupção...



Se eu soubesse o que fazer, para te tirar da minha cabeça, para deixar de te querer, para que mais nada aconteça. Eu faria sem hesitar, porque não está fácil de aguentar, esta imensa dor, provocada por este amor.
Um lado meu diz que quer ficar contigo, o outro diz para te esquecer, que és o meu maior castigo, por não te poder ter.
Meu coração não é de papel, que a chuva molha, apaga as palavras e o sol enxuga. Não é!
A minha mente gira, feito um carrossel, em busca de uma saída, para te tirar da minha vida. Tentativas, são em vão para te tirar do meu coração e apagar esta paixão. Querer-te é como querer apagar um vulcão, sinto-me em constante erupção. E nesta luta comigo. Faço, penso e digo, constantes contradições, entre a razão e as emoções.




Susana Bastos

( Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

Sem comentários:

Enviar um comentário