(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

sábado, 22 de novembro de 2014

Nada foi por acaso...

Sentimentos sem fim
Apoderam-se de mim
Nestas noites que passo sem ti
Porque contigo um dia sorri
Há muito que não te vejo
Precisava agora de te abraçar
Precisava sentir o teu beijo
E de olhos nos olhos te olhar
Será que ainda pensas em mim
Nestas noites que penso em ti
Será que ainda gostas de mim
Como eu gosto de ti
Eu adoro o que tu és
Tu adoras o que eu sou
Por isso, nada pode mudar
Ainda temos muito para dar
Porque tudo o que eu te dei
E tudo o que tu me deste
Nada foi por acaso
E isso sentiu-se no último abraço…

Susana Bastos 
22 de Novembro de 2014
(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

Sem comentários:

Enviar um comentário