(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

domingo, 31 de agosto de 2014

In "DESESPERADO" Susana Bastos (Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

Foto: “Simplesmente disse … 
-Vai ser feliz. Ficamos por aqui, tu não és o que sempre quis. 
A seguir resolvi ser forte, indiferente e ausente, mesmo que te visse, com um outro, alguém. 
Pensava que conseguia ignorar a dor, de te ver com um novo amor. 
Mas agora quando te vi, não tenho palavras para descrever tudo o que senti, por não te ter mais ao pé de mim. Por te ver nos braços de um outro qualquer e saber dentro de mim, que ninguém te ama mais que eu. Que lhe estás a dar tudo o que é meu.
Agora sei o que doí saber que para ti eu sou passado, que pouco te importa como estou desesperado. 
Agora sei a dor que sentiste, quando te disse que para mim eras passado, que não te podia ter no presente, quando no fundo no mais íntimo de mim, o que eu mais queria era que fosses o meu único futuro…
Penso em ti a toda a hora, não me sais do pensamento, és em mim, constante sentimento. Olho as tuas fotografias, sem conter as lágrimas sentidas, no desespero de saber, que sem ti vou morrer sozinho, por não ter mais o teu amor, o teu carinho.
Hoje preciso que me oiças, como eu nunca te quis ouvir quando choravas para eu ficar, quando me mimavas para eu voltar. 
Dava tudo para voltar atrás, só para te poder dizer, o que não disse da última vez e voltar a ter o que hoje, a ele lhe dás.
Por causa de mim, sei que te perdi. 
Sei que não percebi, que o mais importante para mim, era ser feliz com quem no fundo eu sempre quis. “

In "DESESPERADO"
Susana Bastos
(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)


“Simplesmente disse … 
-Vai ser feliz. Ficamos por aqui, tu não és o que sempre quis. 
A seguir resolvi ser forte, indiferente e ausente, mesmo que te visse, com um outro, alguém. 
Pensava que conseguia ignorar a dor, de te ver com um novo amor.
Mas agora quando te vi, não tenho palavras para descrever tudo o que senti, por não te ter mais ao pé de mim. Por te ver nos braços de um outro qualquer e saber dentro de mim, que ninguém te ama mais que eu. Que lhe estás a dar tudo o que é meu.
Agora sei o que doí saber que para ti eu sou passado, que pouco te importa como estou desesperado.
Agora sei a dor que sentiste, quando te disse que para mim eras passado, que não te podia ter no presente, quando no fundo no mais íntimo de mim, o que eu mais queria era que fosses o meu único futuro…
Penso em ti a toda a hora, não me sais do pensamento, és em mim, constante sentimento. Olho as tuas fotografias, sem conter as lágrimas sentidas, no desespero de saber, que sem ti vou morrer sozinho, por não ter mais o teu amor, o teu carinho.
Hoje preciso que me oiças, como eu nunca te quis ouvir quando choravas para eu ficar, quando me mimavas para eu voltar.
Dava tudo para voltar atrás, só para te poder dizer, o que não disse da última vez e voltar a ter o que hoje, a ele lhe dás.
Por causa de mim, sei que te perdi.
Sei que não percebi, que o mais importante para mim, era ser feliz com quem no fundo eu sempre quis. “

In "DESESPERADO"
Susana Bastos
(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

Sem comentários:

Enviar um comentário