(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Complicómetro...




Tanta coisa na vida é inexplicável
Mesmo quando tudo parece impecável
Eu diria inigualável
 Pois nada por nós é controlável
Muitas vezes entramos nas situações 
Sem querer ou perceber as razões 
Entramos apenas com as emoções 
Mandadas pelos nos nossos corações
Somos todos seres humanos
E muitas vezes erramos 
Quando apenas conquistamos 
Ou simplesmente quando amamos
Na vida nada vem sem sofrimento 
Nem mesmo o contentamento 
Especialmente o do sentimento
Tenha ele muito ou pouco condimento
Somos milhares neste mundo 
A sentir o amor profundo 
Para alguns é vagabundo 
Para outros, moribundo
Para muitos resiste ao tempo
Seja qual for o contratempo 
É sentido como entretempo 
Pois não o vêem como um passatempo
No amor sofre sempre alguém 
Pois os sentimentos não ficam aquém 
Nos corações de ninguém 
Mesmo quem o sente com desdém
O amor podia medir-se com um termómetro
Ou bastar apenas um barómetro 
Mas em vez disso todos usamos 
O bem dito do complicómetro

Sem comentários:

Enviar um comentário