(Todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

“Eu te amo”




Acordar assim
Contigo ao pé de mim
Desejar-te assim

Como me desejas a mim
Olhar-te nos olhos com amor 
Sentir no teu corpo este calor 
Este nosso sabor 
Sem qualquer falta ou pudor
É sentir paz de espírito 
Em nada haver conflito 
Nem mesmo na hora do copito 
Ou quando ouvimos o apito
Tentam perturbar 
Ou ainda nos incomodar
Obrigando-te a viajar 
Quando apenas aqui queres ficar
Mas nosso amor é forte
Está longe da sua morte 
Mesmo que uses o passaporte 
Já nada te tira o meu norte
O universo nos juntou 
Aos dois encaminhou 
O passado para trás ficou
No teu presente apenas eu estou
Adoro quando dizes “eu te amo” 
Sentado neste pequeno ramo 
Sempre que sentes que te chamo 
Porque sabes que também “eu te amo”

Sem comentários:

Enviar um comentário